Equipe

REALIZADORES

PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVO HAMBURGO

FÁTIMA DAUDT

Prefeita

A primeira edição do FeMusik ainda ecoa em Novo Hamburgo. O evento de estreia, em 2023, inseriu nossa cidade no mapa musical do Brasil. Foi mais do que um festival, foi um encontro de talentos, uma sinfonia de vozes e acordes que transcendeu fronteiras geográficas e barreiras culturais. Jovens promessas se misturaram com músicos experientes de várias regiões e países, criando uma sinergia única, envolvendo a comunidade e levando multidões aos espaços culturais. Durante nove dias, nossa cidade respirou música, apreciou a mais pura arte e celebrou a vida. No ritmo do FeMusik, encontramos uma pausa no cotidiano para refletir sobre o que realmente importa, para apreciar o poder transformador da música e para valorizar aqueles que dedicam suas vidas à arte. Assim como somos a Capital Nacional do Calçado, aspiramos estar cada vez mais inseridos no mapa cultural e ser inspiração para todo o país. Vida longa ao FeMusik!

RALFE CARDOSO

Secretário de Cultura

Coordenação Geral, Produção, Secretaria e Apoio.

Secretaria Municipal de Cultura de Novo Hamburgo

Ralfe Cardoso, Secretario Municipal de Novo Hamburgo

RALFE CARDOSO é Produtor Cultural. Fundador da Produtora Um Cultural, trabalha na elaboração de projetos e captação de recursos desde 2009, atuou na coordenação do Festival de Cinema de Gramado dos anos 2012, 13 e 14, um dos idealizadores do Porto Alegre Jazz Festival, coordenou editorialmente mais de vinte publicações.  Secretário da Cultura de Novo Hamburgo (RS) desde 2017, com dedicação exclusiva a Pasta, reestruturou a gestão ampliando a participação social e lidera a implantação do Novo Hamburgo Polo Audiovisual – iniciativa que conta com o Co-investimento Regional da Ancine. Concebido em seu período de gestão, o Polo está alicerçado em cinco eixos: Estabelecimento de Rede Audiovisual, Formação de Público, Responsabilidade Sociocultural, Fomento e Profissionalização. Já selecionados e contratados, a partir do Fundo Setorial do Audiovisual, estão em fase de produção ou pré-produção, três longas, cinco curtas, dez pilotos de série, um game e o Festival de Pilotos de Série de Novo Hamburgo. 

Direção Artística

LINUS LERNER (BRA/EUA) 

Diretor Artístico, Maestro da Orquestra Sinfônica e Professor de Regência Orquestral do II FeMusiK

 Maestro Linus Lerner é elogiado pelo carisma e energia apaixonada que ele traz para suas performances musicais, inspirando artistas e transportando o público. Igualmente em casa no pódio sinfônico ou no fosso de ópera, Maestro Linus Lerner é um dos maestros brasileiros com a maior projeção internacional tendo regido orquestras e como maestro convidado na Alemanha, Brasil, Bulgária, China, Coréia do Sul, Egito, Espanha, Estados Unidos, Itália, México, Panamá, Paraguai, República, Rússia e Turquia. Lerner é atualmente diretor artístico e maestro da SASO (Southern Arizona Symphony Orquestra), EUA; OSRN (Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte) Brasil; Festival de Opera de Zapopan, México; e Concurso Internacional de Canto Linus Lerner, México.  Linus é o primeiro brasileiro a gravar com a prestigiosa Orquestra Real Filarmônica de Londres (Selo Meridian) além de CD pelo selo da NAXOS com a SASO entre outros. O maestro Lerner também trabalhou como professor e preparador de várias orquestras e coros e trabalhou para El Sistema “La Esperanza Azteca” no México ao lado de Plácido Domingo, Yo Yo Ma e Joshua Bell ensinando mais de 100 maestros. Recentemente assumiu a posição de maestro principal da OSNH (Orquestra de sopros de Novo Hamburgo), Brasil, e atua também como maestro frequente do Round Top Festival Hill, EUA. Doutor em Regência Orquestral pela Universidade do Arizona, Mestre em Regência Orquestral pela Universidade Estadual da Flórida, Mestre em Vocal Performance pelo Conservatório de Música da Universidade de Cincinnati e Bacharel em direção coral da Universidade Federal do Rio Grande do Sul no Brasil.

GUSTAVO MÜLLER (BRA)

Diretor Executivo

Iniciou seus estudos musicais aos quatro anos de idade, com o instrumento flauta doce, o qual estudou até completar dez anos, partindo então para o estudo do saxofone. Estudou saxofone com o professor Renato Santos, e tornou-se músico profissional aos quinze anos. Formou-se no curso Técnico em Música da Escola Sinodal de Educação Profissional (ESEP) – Faculdades EST de São Leopoldo/RS em 2007, com ênfase no instrumento saxofone. Graduado em Música pela UFRGS, onde estudou saxofone com o professor Amauri Iablonovski. Participa de workshops, masterclasses e festivais, como o IV Encontro Internacional de Saxofonista de Tatuí/SP. Já atuou nas principais orquestras do RS como músico convidado, dentre elas a Orquestra Sinfônica de Porto Alegre, Orquestra Unisinos/Anchieta, Orquestra Filarmônica da PUC/RS, Orquestra Sinfônica da UCS e Orquestra Sinfônica de Gramado.  Ocupa os cargos de músico (1o saxofone alto) e diretor artístico da Orquestra de Sopros de Novo Hamburgo. É criador do grupo Barlavento Quarteto de Saxofones, grupo este que atua desde 2005 difundindo a música de câmara e o repertório de quarteto de saxofones.

Coordenação

OLINDA ALLESSANDRINI (BRA) 

Coordenadora de Música de Câmara

13

É atualmente uma das mais versáteis e conceituadas pianistas brasileiras. Seu repertório é eclético e abrange uma vasta escolha de obras para piano solo, além de música de câmara e concertos com orquestras. Participa de Festivais Nacionais e Internacionais de Piano, colaboração em jornais e revistas digitais, e participação com capítulos em livros editados. Realizou tournées pelo Brasil, Uruguai, Argentina, Bolívia, Alemanha, Bélgica, Itália, Noruega, e nos Estados Unidos. Sua dedicação à produção musical do

Brasil e das Américas proporcionou vários prêmios, entre os quais diversos Prêmios “Açorianos”, e a distinção “Líderes e Vencedores”. Com apenas 18 anos conquistou o prêmio “Medalha de Ouro” do Instituto de Artes da UFRGS. A pianista tem realizado palestras e cursos sobre música, em especial no Instituto Ling, em Porto Alegre. Participa de 16 CDs como pianista convidada. Entre seus 11 CDs solo destacam-se os dedicados a obras de Villa-Lobos, Radamés Gnattali, Araújo Vianna e Chiquinha Gonzaga, além dos CDs Panorama Brasileiro, Valsas, Ébano e Marfim, Um Piano na Esquina, de diversos compositores. Também lançou um DVD, “pamPiano”.

MARCIO BUZATTO

Coordenador de Coros 

 Bacharel em Regência Coral e Composição Musical (UFRGS), com Pós-Graduação em Regência pela FACEC. Foi professor de Regência e Canto Coral na UFRGS e na UFSM e esteve à frente de grupos expressivos do sul brasileiro, como a Orquestra Filarmônica da PUCRS, o Coral Porto Alegre, Coral da UFRGS, Madrigal do Departamento de Música do Instituto de Artes – UFRGS, Coro de Câmara UFSM e o Coral de Meninas de Bom Princípio/RS. No repertório coral já realizado, destacam-se as obras: 9ª Sinfonia (Beethoven), Sonho de Uma Noite de Verão (Mendelssohn), Requiem e Missa da Coroação (Mozart), Magnificat (John Rutter), Magnificat (Vivaldi), Mass (Steve Dobrogosz), Festival Mass (John Leavitt), Missa Solene de Santa Cecília (Gounod), Navidad Nuestra e Misa Criolla (Ariel Ramirez), preparação de coro para Aída e Otello (Verdi), Carmen (Bizet), Paixão Segundo São João (Bach), Messias (Händel), Carmina Burana (Carl Orff) e The Lord of The Rings in Concert “The Fellowship of The Ring” (Howard Shore). Já dividiu o palco com The Rolling Stones, Milton Nascimento, Paulinho da Viola, Vanessa da Mata, Kleiton/Kledir, Miguel Proença e diversos músicos de destaque. Tem realizado a direção artística do Festival de Música Coral Renascentista “Gil de Roca Sales”, “Musica Dei” Festival de Música Coral Sacra, “Rock Festival” Festival de Música vocal da PUCRS, Festival de Coros do Norte Gaúcho – URI Erechim, “A Força da Voz Feminina” Festival de Coros Femininos – URI Erechim, Projeto “Mais Música” – URI Erechim, do Festival de Música Coral Italiana, Festival Internacional de Coros de Porto Alegre “In Linea” e “Dal Vivo”. É regente do Coral da PUCRS, Coro da URI-Erechim, Coral Ítalo-Brasileiro RS e faz parte da diretoria da Associação Brasileira de Regentes de Coros – ABRACO, representando a região sul do Brasil.

LÍRIS NEUMANN (BRA) 

Coordenadora de Corpo Docente, Professora de Musicoterapia e Produção

 é Bacharel em Música-habilitação em Regência Coral pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Especialista em Musicoterapia pela Universidade Feevale/Novo Hamburgo e pós-graduanda em TEA e Musicoterapia pela UNISE. De forma paralela aos estudos de Regência iniciou sua preparação como solista sendo aluna de canto de Lídia Belardi (Porto Alegre). Cita ainda Neide Thomas (Curitiba), Juan Carlos Gebelin (Uruguai) e Maria Tereza Uribe (Hungria), atuando assim como solista no cenário gaúcho.  Destaca o trabalho como regente e preparadora vocal na grande Porto Alegre e Serra gaúcha, incluindo coros e grupos de câmara. Como professora de canto tem um trabalho de consultoria para grupos e solistas, além de ministrar aulas.

DIMITRI CERVO (BRA)

Coordenador do Concurso de Composição

15

 é criador de obras multifacetadas como ToronubáAs Quatro Estações Brasileiras e de um Concerto para Trombone estreado e apresentado por Peter Steiner nos Estados Unidos e na Europa. Tem colaborado com diversos grupos e orquestras, atuando como regente e pianista na interpretação da sua obra. Em 2019 lançou um elogiado álbum, regendo a sua música orquestral frente à Orquestra Sinfônica da Venezuela. Em 2022 foi nomeado ao Latin Grammy (Melhor Obra Clássica Contemporânea) e teve a sua obra gravada pela Real Orquestra Sinfónica de Sevilla e o trompetista Fábio Brum. Sua música está disponível em selos como Naxos, Universal Music, Centaur Records, dentre outros. Seus principais estudos musicais, de piano, composição e regência, se deram na UFRGS e na UFBA, Accademia Musicale Chigiana (Itália), e na Universidade de Washington (Seattle, USA). É professor titular do Departamento de Música da UFRGS.

Maestros

 LINUS LERNER (BRA/EUA) 

Maestro da Orquestra Sinfônica do Festival

MÔNICA GIARDINI (BRA) 

Maestrina da Banda Sinfônica

Doutora e mestre pela USP, com formação em piano, e bacharel em violão e Pedagogia Plena. Participou como regente de diversas conferências e congressos de Bandas Sinfônicas no Brasil, África do Sul e Argentina, e como regente adjunta da Banda Sinfônica do Estado de São Paulo. É regente titular da Banda Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo (BSJESP), da Banda Sinfônica Paulista e da Orquestra Filarmônica Sinos Azuis, atua como clinician (professora e conferencista) do Sopro Novo Bandas, da Yamaha do Brasil, tendo escrito e publicado o Caderno de Regência da coleção deste projeto.

ISABELA SEKEFF (BRA)

Maestrina do Coro do Festival

ISABELA SEKEFF

é Doutoranda em música na UNICAMP, Mestre em Regência Coral pela Universidade de Missouri, Estados Unidos, Especialista em Musicoterapia pelo Conservatório Brasileiro de Música no Rio de Janeiro e Licenciada em Educação Musical pela Universidade de Brasília. Atualmente é professora Substituta da Universidade de Brasília na cadeira de Regência e Estruturação Musical desde 2021. Trabalhou no Centro de Ensino Profissional Escola de Música de Brasília por trinta anos na área de Grandes Grupos – Regência Coral e Orquestra – onde também atuou como Coordenadora e Supervisora Pedagógica. Idealizou e fundou o Curso de Formação Inicial e Continuada de Regência Coral na mesma instituição.  E foi maestrina titular do Madrigal de Brasília de 2018 a 2021, coro profissional formado por professores e alunos da Escola de Música de Brasília. É maestrina do Coral Cantus Firmus, grupo que fundou em 1992 e que figura entre os melhores grupos do Brasil. Com esse grupo já se apresentou em mais de 15 países, e ganhou vários concursos, sendo o mais significativo o X World Choir Games – África do Sul onde foi premiada com duas medalhas de ouro nas categorias coro misto e folclórico.  Sekeff também dá cursos com regularidade em vários estados do Brasil área de Regência Coral, entre eles Painéis da FUNARTE (2022), CIVEBRA (2021), ENCOROS (2019).

WILLAMES COSTA (BRA)

Maestro da Big Band

 Músico arranjador, 1° contrabaixista da orquestra sinfônica do Rio Grande do Norte – OSRN, e pianista da Banda Sinfônica da Cidade do Natal, na qual esteve como maestro titular por 4 anos. Bacharel em contrabaixo pela UFRN. Foi professor substituto de contrabaixo acústico na UFRN. Foi contrabaixista da camerata Mundi-UFRN, e músico da Orquestra Filarmônica Evangélica Gênesis. Atuou como arranjador residente da Orquestra Sinfônica de Gramado. Participou como assistente do maestro Linus Lerner no Festival Internacional “Gramado in Concert” onde também atuou como maestro e arranjador da Big band do mesmo festival por dois anos seguidos. Atuou como músico convidado da Orquestra Sinfônica do Sul do Arizona – SASO no festival internacional de ópera de San Luís Potosí – México, por 4 anos consecutivos, e como assistente de maestro Linus Lerner no mesmo festival. Arranjador, diretor musical e maestro convidado do DVD comemorativo aos 20 da orquestra AD Londrina-PR. Em 2021 foi convidado para compor a trilha sonora do espetáculo NATIVITATEN em Gramado -RS.  Em 2022 estreou a sua Sinfonia n°1 – Trampolim da Vitória, em comemoração dos 80 anos da Base aérea de Natal, sob a regência do maestro Linus Lerner.

ALEXANDRE MURATORI GONÇALVES (BRA)

Maestros Assistentes – Apoio Artístico

Maestro é elogiado por sua expressividade e carisma contagiantes, transportando o público em suas interpretações e inspirando alunos e artistas. Da pianista Eudóxia de Barros recebeu a crítica: “trata-se de um pianista e maestro de singular sensibilidade e expressividade”. Tem conduzido orquestras e corais no Brasil, Chile, e Portugal, e como maestro assistente em festivais no México e Brasil.  Atualmente, Alexandre Muratori é maestro titular do Coro da Graduação em Música da Universidade Federal de Goiás – UFG e dos Cursos de Verão – Rancagua/Chile. Atua desde 2016 como maestro assistente no Festival Internacional de Música “Gramado in Concert” (Brasil); e no Festival de Ópera de San Luís Potosí̀ e Competição Internacional de Canto Linus Lerner (México).  Além de sua atuação como maestro e pianista camerista, desenvolve ampla carreira de compositor de trilhas sonoras para cinema, tendo sido premiado em festivais de cinema de Roma, Nova Iorque e Hollywood.

Professores

LEVON AMBARTSUMIAN (ARMÊNIA/RUSSIA/EUA) 

Professores de Violino

LEVON AMBARTSUMIAN

Franklin and Regent’s Professor de Violino na University of Georgia, e ex-professor no Moscow Conservatory (1978-1993) e na Indiana University (1993-1995). É um violinista aclamado internacionalmente, vencedor do Concurso Internacional de Violino de 1977 em Zagreb, do Concurso Internacional de Montreal de 1979 e do Concurso de Violino Soviético de 1981. Ambartsumian é um Artista Mérito da Armênia e da Federação Russa. Ele é o fundador, maestro e diretor artístico da Orquestra de Câmara ARCO, agora sediada na Universidade da Geórgia, em Atenas. Além de suas responsabilidades de ensino, ele continua a realizar e apresentar master classes em todo o mundo. Mais de cinquenta discos compactos foram lançados por diferentes gravadoras nos EUA, França e Rússia. Em maio de 2009, Ambartsumian recebeu uma medalha de ouro do Sindicato dos Compositores de Moscou por sua contribuição ao desenvolvimento da música contemporânea e da cultura musical. Seus ex-alunos ocupam cargos principais nas principais orquestras europeias na Alemanha, França, Portugal e Dinamarca, e muitos foram premiados em competições internacionais de violino, bem como cargos de professores universitários em tempo integral.

ELISA FUKUDA (BRA)

Professores de Violino

 participou dos Cursos de Alta Interpretação com os mestres Nathan Milstein, Henryk Szering, Arthur Grumiaux e aperfeiçoou-se com Sandor Vegh, no Mozarteum de Salzburg. Apresentou-se nas mais importantes salas de concerto do Brasil e da Europa como solista e recitalista, destacando-se os solos com a Orchestre Philharmonique George Enesco de Bucareste, Orquestra de Câmara de Moscou e as principais orquestras do Brasil. Foi membro do Trio Dell’Arte com o qual fez turnê na Argentina, França, Espanha, Alemanha, Portugal e Açores. Além da atividade didática que vem desenvolvendo na Escola Fukuda, é também Diretora Artística da Camerata Fukuda e formou em 2022 o Quarteto Camargo Guarnieri.

Sua discografia é composta por 12 CDs gravados com o Trio Dell’Arte, Camerata Fukuda, Quarteto Camargo Guarnieri, Duo Fukuda-Montini e Duo Fukuda-Astrachan. Gravou também na Rádio Suisse Romande, Rádio e TV Cultura de São Paulo e TV Educativa do Rio de Janeiro.

Recebeu vários prémios ao longo de sua carreira entre os quais se destacam o de “Melhor Solista do Ano” pela APCA, Premio Carlos Gomes na categoria “Solista Instrumental”, alem dos prêmios com o Trio Dell’Arte, Camerata Fukuda e Quarteto C. Guarnieri.  Em julho de 2003 foi convidada a participar do corpo docente do 1º Festival “Instrumenta Verano”, em Puebla (México). Foi Professora Residente do Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão, participou das Oficinas de Curitiba, Festival de Jaraguá, de Vale Vêneto e também tem ministrado aulas no Festival de Montanhas (Poços de Caldas). Desde 2005, Elisa Fukuda é professora da Escola Superior de Música da Faculdade Cantareira.

Em 2011 apresentou-se em Fort Lauderdale (Teatro Broward Center) e Nova York (Lincoln Center Avery Fischer Hall) como solista da Bachiana Filarmônica sob a regência de João Carlos Martins. Em 2013, apresentou-se no Metropolitan Museum de Nova York como solista junto à Orquestra St-Luke no programa “Back to Bach” interpretando os concertos Brandenburgueses de J.S. Bach, tendo como regente João Carlos Martins.

PABLO DE LEÓN (BRA) 

Professores de Violino

PABLO DE LEÓN

 Natural de Cascais – Portugal, foi bolsista da Fundação Vitae para aperfeiçoamento em violino e música de câmara na classe do professor Chaim Taub, em Israel.  Como solista tem se apresentado frente a importantes orquestras brasileiras e estrangeiras, sob a regência de maestros como John Neschling, Leon Spierer, Ira Levin, Jamil Maluf, José Maria Florêncio, Roberto Minczuk, Osvaldo Ferreira, entre outros. Atuou como spalla da Orquestra Sinfônica Brasileira da Cidade do Rio de Janeiro de 2008 a 2014 e desde o ano 2000 ocupa o cargo de spalla da Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo. Desde 2003, sob a regência do maestro Valery Gergiev, é o único violinista brasileiro a fazer parte da World Orchestra for Peace. Fundada por Sir Georg Solti e composta por spallas das principais orquestras do mundo.

IVO STANKOV (BULGÁRIA/INGLATERRA) 

Professores de Violino

tornou-se um dos principais e mais versáteis artistas da Bulgária de sua geração.  Gravou o concerto duplo para violino e piano de Mendelssohn com a Royal Philharmonic Orchestra regida pelo maestro Linus Lerner que foi aclamada pela crítica como uma de “virtuosidade deslumbrante” (Classical Music Daily) e “um disco para valorizar” (MusicWeb International). Seu CD de estreia com as sonatas para violino de Beethoven foi igualmente descrito como “um disco excelente” e foi premiado com cinco estrelas pela mais antiga revista de música clássica da Grã-Bretanha, Musical Opinion. Desde que se estabeleceu no Reino Unido, Ivo tornou-se um propagador ativo de sua herança cultural búlgara.  Fundou o ‘London Festival of Bulgarian Culture’ estreando obras de compositores como Dobrinka Tabakova, com a English Chamber Orchestra e London Mozart Players. Atuou também como solista com a Camerata Royal Concertgebouw, Filarmônica de Sofia e com orquestras na Alemanha, Brasil, Bulgária, Espanha, Itália, e Estados Unidos. No Reino Unido, deu concertos e em salas como Royal Albert Hall, The Barbican, Bridgewater Hall, Cadogan Hall, Glasgow Concert Hall, Queen Elisabeth Hall e Wigmore Hall. Ivo dividiu o palco com Sir Cliff Richard e colaborou com artistas internacionais como Mark Knopfler, do Dire Straits, e o falecido compositor de cinema e vencedor do Grammy, Johann Johannsson (Theory of Everything). com quem excursionou regularmente pela Europa como primeiro violino do Quarteto Iskra.  Apaixonado por ajudar a geração mais jovem de músicos, Ivo tem sido cada vez mais requisitado como professor e juiz. Ele é professor de violino no Conservatório de Birmingham, Guildhall School of Music & Drama (Junior), e também leciona na St. Paul’s Girls School e na Whitgift School. Algumas das histórias de sucesso recentes de seus alunos incluem vencer o concurso GSMD Junior ‘Lutine Prize’ (2021) e se apresentar nas finais do concurso BBC ‘Young Musician of the Year’ (2022). Ele julgou concursos na Áustria, Bulgária, Hungria, Moldávia e Reino Unido, e ministrou Master Classes na Europa e nos EUA. As publicações pedagógicas de Ivo incluem seu método de violino ‘The Violin Tips Practice Guide’, que foi publicado como uma série de artigos nas revistas online ‘The Strad’ e ‘Music Teacher’. Ivo formou-se na Royal Academy of Music, onde estudou violino com Eric Gruenberg, e recebeu treinamento de membros do Amadeus Quartet. Ivo toca no violino Giuseppe & Antonio Gagliano de 1787.

SHAKHIDA AZIMKHODJAEVA-AMBARTSUMIAN (UZBEQUISTÃO/EUA) 

Professores de Violino


Formou-se no Conservatório Tchaikovsky de Moscou. Ela estreou com a Orquestra Sinfônica do Uzbequistão quando tinha onze anos e venceu o Concurso Nacional de Violino em 1985.
De 1985 a 1990, ela se apresentou com a Orquestra Sinfônica do Conservatório Tchaikovsky de Moscou, sob a direção de maestros como Zubin Metha, Pierre Boulez, Valery Gergiev e muitos outros. Como solista e musicista de câmara, actuou em todas as principais cidades da antiga União Soviética, nas salas mais prestigiadas, como o Conservatório Tchaikovsky de Moscovo e as salas de concerto da Filarmónica de São Petersburgo. Ambartsumian foi uma das fundadoras da Orquestra de Câmara de Moscou “ARCO”. Desde 1989, ela é spalla e solista da orquestra e tem se apresentado extensivamente na Europa, Coreia do Sul, EUA, Canadá e Brasil.
Azimkhodjaeva ingressou na faculdade de violino da Escola de Música da Universidade da Geórgia em 1995. Suas apresentações recentes incluem inúmeras apresentações no Weill Recital Hall no Carnegie Hall, Conservatório Tchaikovsky de Moscou.

Professores de Viola

MICHAEL GIELER (ÁUSTRIA)
Viola

Professores de Viola

 

Começou a tocar aos cinco anos. Quando adolescente fez parte de um quarteto de cordas profissional, fazendo turnês pela Europa e Ásia. Após os estudos em Viena, recebeu uma bolsa da Fundação Herbert von Karajan para estudar viola na academia de orquestra da Filarmónica de Berlim. É violista solo da Orquestra Concertgebouw desde 1993. De 1995 a 2015 foi professor no Conservatório de Música de Amsterdã e orientou muitos excelentes violistas. Fez concertos solo e de música de câmara em todo o mundo. É diretor artístico da Music Stages Foundation onde desenvolve projetos que coloquem a música clássica numa perspetiva mais ampla. Graças a um grande número de projetos socialmente relevantes sob a sua liderança, a Coroa Holandesa nomeou-o oficial da Ordem de Orange-Nassau em 2021. Toca uma viola construída por Carlo Antonio Testore (Milão, 1745), instrumento cedido com o apoio da Fundação Orquestra Concertgebouw.

HORÁCIO SCHAEFER (BRA)

Professores de Viola

 iniciou seus estudos de violino em São Paulo e após ganhar vários concursos no Brasil, aperfeiçoou-se na Alemanha com Max Rostal, onde terminou seu mestrado já como violista. Foi membro da Orquestra de Câmara Deutche Bach Solisten, spalla das violas da Orquestra Filarmônica de Essen e violista do Quarteto Ravel-Köln, tendo realizado diversas turnês e concertos pela Europa. Durante três anos, tocou na internacionalmente reconhecida Orquestra da Rádio de Frankfurt e no sexteto de cordas daquela orquestra. Em música de câmara, recebeu orientação de renomados quartetos, como o Melos Quartett de Stuttgart e o Amadeus de Londre. Foi professor colaborador do Departamento de Música da USP e professor concursado da Escola de Belas Artes da Universidade Estadual do Paraná.  Foi membro fundador do Quarteto Amazonia, com o qual ganhou diversos prêmios como o Grammy Latino, APCA e Carlos Gomes.De 1995 a 1998 foi o spalla das violas da Orquestra Sinfonica do Teatro Municipal de São Paulo, a convite do Maestro Isaac Karabtschewsky. Desde 1998 é o spalla das violas da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo.

Professores de Violoncello

TOM LANDSCHOOT (EUA)

Professores de Violoncello

 é elogiado por sua produção musical expressiva, virtuosa e poética. Tem uma carreira internacional como concertista, artista musical e pedagogo. Apresentou-se na América do Norte, Europa, América do Sul e Ásia e em canais de rádio televisão em todo o mundo. Sua carreira solo começou depois de receber o prêmio máximo no Concurso Internacional de Violoncelo ‘Jeunesse Musicales’ em 1995 em Bucareste, Romênia. Algumas das orquestras que já se apresentou como solistas Orquestra incluem: Orquestra Nacional da Bélgica, Orquestra de Câmara de Frankfurt, Sinfônica de Tempe, Sinfônica do Sudoeste, Orquestra Sinfônica de Shieh Chien, Filarmônica de Scottsdale, Orquestra Sinfônica de Flandres, Sinfônica da Cidade de Kaohsiung, a Orquestra Sinfônica de Loja no Equador entre outras.  Ele atuou como membro do corpo docente da Music Academy of the West em Santa Barbara, Castleman Quartet Program em Nova York, Killington Music Festival, Meadowmount School of Music, Foulger International Music Festival, High Peaks, Madeline Island, Manchester, Montecito e Texas Festival de Música. Suas gravações estão disponíveis na Summit, Organic, Kokopelli, ArchiMusic e Centaur Records. Desde 2013, é membro do Quarteto Rossetti. Ele também se apresentou com os Quartetos Takacs, Dover e Arianna e membros dos Quartetos Cleveland, Vermeer, Tóquio e Orion. Um ávido promotor da música do nosso tempo, ele encomendou e estreou mais de 20 novas obras para violoncelo, incluindo um concerto de Dirk Brosse. Esteve envolvido em projetos interdisciplinares de serviço público por meio de sua música para construir um orfanato e um hospital em Tamil Nadu, na Índia e por isso foi destaque em um documentário de um violoncelista tocando em toda a Índia, Landschoot deu master classes em conservatórios e universidades em toda a Ásia, Estados Unidos, Europa e América do Sul. Seus alunos figuram entre os vencedores de concursos nacionais e internacionais, ocupam cargos de destaque em grandes orquestras e lecionam em universidades nos Estados Unidos e no exterior. Tom Landschoot é atualmente professor de violoncelo na Arizona State University, uma das melhores escolas de música dos Estados Unidos. Ele toca violoncelo de Tomaso Balestrieri (1776) e arco Dominique Pecatte.

ANDRÉ MICHELETTI (BRA)

Professores de Violoncelo

 Natural de Piracicaba, André Micheletti tem duplo doutorado pela Indiana University em violoncelo e violoncelo barroco sob a orientação de Helga Winold, Nigel North e Stanley Ritchie, tendo aulas particulares e master classes com Janos Starker. Foi bolsista da CAPES-Fulbright em seus doutorados. É mestre em Violoncelo e Pedagogia do violoncelo pela Northwestern University em Chicago, sob orientação de Hans Jörgen Jensen e Bacharel em violoncelo pela Unicamp, sob orientação de Antonio Lauro del Claro. Atualmente, André Micheletti é professor de violoncelo e música de câmara do Departamento de Música da FFCLRP-USP. Faz a codireção artística da Orquestra Sinfônica de Piracicaba ao lado do Maestro Knut Andreas e foi diretor artístico e pedagógico do Festival Internacional de Música Erudita de Piracicaba de 2011 a 2016. Foi professor na Faculdade Cantareira, Escola Municipal de Música de São Paulo, Columbus Indiana Philharmonic Orchestra e Unicamp e foi coordenador pedagógico e professor do Instituto Fukuda, do Instituto Baccarelli e do projeto “Cidadão Musical” na cidade de Paulínia. Em 2012, assumiu a presidência da Associação Amigos Mahle para o biênio 2012/13. André Micheletti também foi concertino da Columbus Indiana Philharmonic Orchestra, concertinho da Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal de São Paulo e primeiro violoncelo da Camerata Fukuda e da Orquestra de Câmara da Unesp. Como solista, fez a p do concerto para violoncelo e orquestra de Edimundo Vilani Côrtes e apresentou-se frente à Orquestra Sinfônica de Heliópolis (Baccarelli), Orquestra Sinfônica de Campinas, Orquestra Sinfônica de Belém (Pará), Orquestra Experimental de Repertório, Orquestra Sinfônica de Piracicaba, Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto, Camerata Fukuda, Orquestra de Câmera da Unesp, Orquestra Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo, North Shore Chamber Orchestra (EUA), Bach Gamut Ensemble (EUA), Sinfonieorchester Collegium musicum Potsdam (Alemanha) entre outras. Como recitalista e camerista, André Micheletti tem atuado no Brasil, Argentina, Alemanha, Estados Unidos e Canadá. Com instrumento de época (violoncelo barroco), foi finalista do Concours Etoile-Galaxy, de Montreal com o Trio Vetruviani e semifinalista da competição “À Tre”, em Trössingen, Alemanha. Primeiro colocado e melhor intérprete de Música Brasileira nos Concursos Estímulo aos Jovens Solistas do Brasil e no Concurso Jovens Instrumentistas do Brasil, além de vencedor do Concurso Jovens Solistas da Orquestra Experimental de Repertório. Em 2009 foi vencedor do Concurso de Música da Espanha e América Latina, promovido pela Embaixada da Espanha nos Estados Unidos e pelo Centro de Música Latino-Americana da Indiana University, com o Trio Micheletti.

Professores de Contrabaixo

MILTON MASCIADRI (EUA/BRA)

Professores de Contrabaixo

24


– Dr. Milton Masciadri é professor de contrabaixo da University of Geórgia onde e professor desde 1984. Ele representa a terceira geração de contrabaixistas de família que tem as raízes na Itália e Uruguay. Masciadri nasceu em Montevidéu onde começou os seus estudos com o seu pai Milton Romay Masciadri. A os 17 anos já era contrabaixista da OSPA e a os 19 ja era professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Ele completou os seu Mestrado e Doutorado na Hart School of Music e State University of New York respectivamente trabalhando com os professores Gary Karr, Larry Wolfe e Julius Levine. Dr. Masciadri e freqüente recitalista e solista com orquestras Sinfônicas na Europa, Ásia, Norte America, America Central e America do Sul. Ele tem presenteado classes magistrais em importantes escolas e conservatórios como a Juilliard School, Manhattan School, Conservatório de Paris, Guildhall School em Londres, Conservatório de Moscow, Unirio, Conservatório de Buenos Aires entre outros. As suas apresentações aparecem em grandes teatros como, Colon (Argentina) La Fênice (Itália), Lincoln Center e Carnegie Hall (New York) Municipal de São Paulo entre outros. Durante os períodos de verão Masciadri ensina e diversos festivais internacionais na Europa, Estados Unidos e America do Sul onde ele tem disseminado, guiado e encorajado contrabaixistas que hoje fazem parte de muitas das mais reconhecidas orquestras e instituições de ensino. As suas 6 gravações de solistas te sido distribuídas no mundo inteiro e os CDs Romanza e Miniatures de Europa estão já quinta edição sendo que o segundo está completamente esgotado. O Cd Vocalise e miniautre do novo mundo pode ser encontrado em Spotify e applle Music. Masciadri tem gravado pelos selos DMR, ACA, Sinfônica e Fondazione.
Masciadri é Acadêmico da Academia Filarmônica de Bologna instituição musical mais antiga da Europa onde músicos como Mozart, Rosini e Wagner foram membros. Desde 1998 Masciadri e o único contrabaixista designado UNESCO “artista para a paz” e em 2009 recebe o prestigioso título de Distinto Professor Universitário da University of Geórgia, título este não conferido a um professor nas artes em 62 anos. Recebe a medalha de Honra a o Mérito conferido pela UFSM (universidade federal de Santa Maria) pelos serviços conferidos a população do Brasil e em 2011 recebe a Prestigiosa nomeação para a ordem dos Cavalheiros de San Marco em Veneza na Itália. Em 2015 ele recebe o prestigioso prêmio Leonardo da Vinci das Artes otogardo na Escocia pelo Conselho Cultural Mundia. Masciadri tem recebido excelentes críticas pela qualidade do seu som e expressividade fazendo um dos contrabaixistas mais louvados pela qualidade da sua produção musical.

MARCO DELESTRE (BRA)

Professores de Contrabaixo

MARCO-DELESTRE

 iniciou seus estudos de música aos seis anos passando pelo violino, piano, violoncelo e oboé. Aos quinze, começou a estudar contrabaixo com seu pai, integrante da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Graduou-se com nota máxima na classe do professor Eugene Levinson, na Juilliard School, em Nova York. Foi finalista no Juilliard School Concerto Competition e venceu o Concurso Nacional de Cordas Paulo Bosísio.

Em suas atividades docentes, participou dos projetos para comunidades carentes da Futurong e do Instituto Baccarelli. Como camerista, já foi integrante da Camerata Solos da UFF, do Quinteto Itinerante (Osesp) e da Orquestra de Câmara do Mercosul, entre outras. Apresentou-se junto ao Quarteto Camargo Guarnieri e, em 2002, participou do concerto de câmara de inauguração da Orquestra Jovem das Américas, sob regência de Plácido Domingo. Durante sua carreira, trabalhou com os maestros John Neschling, Roberto Minczuk, Cláudio Cruz, Otto-Werner Müller, James DePriest, David Robertson, Krzysztof Penderecki, Yan Paschal Tortelier, Marin Alsop e Gennady Rozhdestvensky além de muitos outros.  Realizou recitais na Sala Villa-Lobos, na Escola Municipal de Música de São Paulo, no Mosteiro de São Bento, no Morse Hall e no Paul Hall (ambos em Nova York). No Rio de Janeiro, atuou na Orquestra Sinfônica Brasileira e na Orquestra Sinfônica Petrobrás Pró-Música.  Em Nova York, junto à Juilliard Symphony e Juilliard Orchestra onde apresentou-se em teatros como Alice Tully Hall, Avery Fischer Hall e Carnegie Hall. Atualmente, integra o naipe de contrabaixos da Osesp.

Professor de Flauta e Flautim

ANTÔNIO CARRASQUEIRA (BRA)

Professores de Flauta e Flautim

 gravou vários CDs premiados e centenas de apresentações em 4 continentes. Carrasqueira é desses raros artistas que navegam livremente pelos universos europeu e brasileiro. Elogiado pela crítica internacional tocando Bach, Mozart, Poulenc, Villa-Lobos… tem gravações dedicadas ao choro consideradas antológicas.  Com o Quinteto Villa-Lobos recebeu vários prêmios discernidos ao melhor grupo camerístico brasileiro.  Livre Docente pela USP, é graduado pelo Conservatoire National de Versailles e pela Ecole Normale de Musique de Paris.  Carrasqueira é um virtuose nato, que toca com muita fluência, graça e refinamento. Ottawa Jornal Canada …tocando Pixinguinha e Pattápio Silva, sua sensibilidade aguda realiza um CD fundamental para os cultores da música brasileira. Gazeta Mercantil São Paulo A fusão expressiva realizada pelos dois irmãos instrumentistas foi sem dúvida uma das mais vivazes, límpidas e que mais sucesso tiveram entre as ouvidas este ano. Nuovo Sound…. Roma … um artista completo.. um dos melhores flautistas que esse país já produziu… Jornal da Tarde…São Paulo

Professor de Oboé e Corno Inglês

JOEL GISIGER (BRA)

Professores de Oboé e Corno Inglês

 é um dos principais nomes do Oboé da atualidade no Brasil. Estudou na Escola Municipal de Música de São Paulo com Benito Sanches e completou seus estudos na Academia da Filarmônica de Berlim – Fundação Karajan – passando a ter aulas com o lendário  Lothar Koch. Participa nos mais importantes Festivais do Brasil, tendo dado aulas no Festival Internacional de Música de Brasília, no Festival de Inverno de Campos do Jordão, no Festival de Poços de Caldas e no Festival de Música de Londrina, além de receber diversos convites para ministrar Máster Classes na USP, Universidade de São Paulo/ Ribeirão Preto. É professor da Escola Municipal de Música de São Paulo e da Academia da OSESP. Tem se apresentado regularmente como solista destacando-se a Orquestra Sinfônica da Paraíba, Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte, Orquestra Sinfônica de Santo André, a Orquestra de Câmara São Paulo, Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto, Orquestra do Festival Virtuosi e Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, nesta última realizando a primeira  audição Latino Americana do  Concerto para Oboé  de Alfred Schnittke.  É primeiro oboé solo da OSESP com a qual se apresenta nss mais importantes salas de concerto do mundo, citando Musikverein em Viena, Concertgebouw de Amsterdam, Salle Pleyel em Paris, Victoria Hall em Genebra, Philarmonie de Berlim, Every Fisher Hall, dentre outras. É Mestre pela UFBA.

Professor de Clarinete e Clarone

LUIS ROSSI (ARGENTINA/CHILE) 

Professores de Clarinete e Clarone

 Em seu livro Clarinet Virtuosi of Today, a historiadora de clarinete britânica Pamela Weston descreve Luis Rossi como o “único instrumentista de ponta no mundo tocando com instrumentos de seu próprio projeto e construção”.  Aclamado pela crítica como “um solista de primeira classe” por suas “linhas melódicas suaves e crescentes” e “técnica sem esforço” (The Clarinet), ele recebeu o Prêmio Konex em 1989, uma honra que divide com as compatriotas argentinas Martha Argerich e Daniel Barenboim. Rossi iniciou seus estudos de clarinete aos 13 anos, estudando em Buenos Aires e Londres, onde foi aluno de John McCaw. Ele se mudou para o Chile em 1978, de onde sua oficina de clarinete e carreira solo continuaram a florescer. Acompanhado pela Orquestra de Câmara do Chile, Rossi executou o cânone de obras para clarinete em toda a Europa e América do Sul. Ele deu a estreia sul-americana de três concertos contemporâneos para clarinete ao lado da Sinfonia Simon Bolivar em Caracas; John Corigliano, Blas Atehortúa e Adina Izarra, os dois últimos escritos em dedicatória ao Sr. Rossi. Recitalista convidado e pedagogo em instituições e palcos como Lincoln Center, New England Conservatory’s International Clarinet Connection, Lemmensinstitute (Leuven), Royal College of Music de Londres, Michigan State University, Indiana University, Western Michigan University , Oberlin College e Ohio State University. Mais recentemente, Rossi foi homenageado na Bélgica ao lado de Karl Leister e Charles Neidich pelo International ClarinetFest 2018.

Professor de Fagote

ANTONINO CÍCERO 

Professores de Fagote

 

Formou-se em fagote em 2002 com nota máxima (10 em 10) pelo Instituto Musical “Vincenzo Bellini” de Catânia. Ministra masterclasses e prática de música de câmara com os mestres Claudio Gonella, Roberto Giaccaglia, Karl Leister, Patrizia Pane, Francesco Bossone e o Solistas do Teatro alla Scala de Milão. Em 2000 ganhou bolsa da Fundação Pisano de Lentini. Formou-se no prestigiado curso internacional de formação orquestral Jeunesse Musicales Suisse. Em 2018 foi diretor artístico do Festival Internacional “Non Solo Classica Lentini” para a associação de serviços ARB e o município de Lentini. Foi premiado em diversos concursos musicais nacionais e internacionais como solista e em conjuntos de câmara clássica. Colaborou com diversas orquestras italianas e estrangeiras.Foi solista de fagote da Orquestra de Câmara de Solistas de Houlencourt de Bruxelas de 2012 a 2014. Desenvolve intensa atividade de concertos solo e de câmara para associações e instituições musicais na Itália e no exterior.
É um fagotista virtuoso não só nos contextos clássicos, mas também no jazz, no swing e, sobretudo, no tango, gênero que atua com destaque há mais de dez anos. Em janeiro de 2012 formou o ‘Armonia Sestet’ para cordas e fagote com repertório de Piazzolla. Lançou o álbum “Pasion de Bassoon”, dedicado ao repertório tango e à música latina, com grande sucesso de crítica e público. Em 2014 fundou o ‘Quartetto Atipico Danzarin’, dedicado à divulgação da música tradicional do tango. Em 2016 gravou “An Italian Tale” em duo com Luciano Troja e música original do mesmo para o selo Almendra Music. Seus projetos musicais têm sido apreciados pela qualidade e originalidade pela crítica com especial atenção da mídia especializada como a Rádio Tre, Rádio Clássica, Rádio Mozart Itália, Rádio Battiti, Rádio Nacional Clássica (Argentina). Em 2021 lançou dois álbuns dedicados ao tango. Por ocasião do centenário de nascimento de Astor Piazzolla criou o álbum “FagotTango” para a prestigiada gravadora argentina Acqua Records, em duo com Fabrizio Mocata, projeto que recebeu grande aclamação da crítica e do público.
Pela mesma gravadora publicou o álbum “Un tango para vos” em duo com Fabricio Gatta, autor
Argentino que compõe um novo repertório de tangos originais para piano e fagote.
“Da Sur a Sur” é o mais recente álbum, do Trio Atipico e Elisa Lorena, dedicado à tradição do tango cantado. Desde julho de 2022 é diretor artístico da Filarmonica Laudamo di Messina, a associação de concertos mais antiga da Sicília.

Professor de Trompa

ADALTO SOARES (BRA) 

Professores de Trompa

z2

é professor de trompa da Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN. Doutor em Música pela Universidade Federal da Bahia – UFBA.– Iniciou seus estudos de música com o Maestro Roberto Farias. Estudou trompa com os professores Enzo Pedini e Zdenek Svab. Integrou a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo – OSESP, Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas, Orquestra Sinfônica da Paraíba PB, Orquestra Jazz Sinfônica de São Paulo. Fundador da Orquestra de Metais Lyra Tatuí. Professor nos Festivais de música de Campos do Jordão, La Serena – Chile, In Concert – Gramado. É idealizador e coordenador do projeto de extensão “Por essas Bandas do RN/UFRN” – Lançou CDs com o grupo de choro Horn Brasil, Orquestra de Sopro Brasileira – Tatuí/SP e Orquestra de Sopro de Karlsruhe Alemanha. Construtor de instrumentos de metais, tendo se especializado com o professor Lowell Greer – Toledo, Ohio USA.  Atua no DALLIS DUO.

Professor de Trompete

FLÁVIO GABRIEL (BRA)

Professores de Trompete

z3

 é um dos mais destacados trompetistas de sua geração, Flávio Gabriel conquistou o 2o prêmio no Concurso Internacional de Música Primavera de Praga em 2010. O prêmio, inédito na história do trompete no Brasil, é considerado um dos mais difíceis no mundo. Foi membro da Orquestra Jovem das Américas entre 2005 e 2007, Orquestra Sinfônica de Porto Alegre entre 2004 e 2009 e da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo – OSESP entre 2009 e 2015.  Como solista, nos últimos anos tem se dedicado a estreia de obras de compositores nacionais compostas especialmente para ele, além de estreias nacionais de compositores estrangeiros. Doutor em música pela Universidade Estadual Paulista – UNESP e professor de trompete na Universidade Federal do Rio Grande do Norte, é o idealizador da plataforma Trompete Online e do Festival Internacional de Música em Casa – FIMUCA.

Professor de Trombone

JOSÉ MILTON VIEIRA (BRA) 

Professores de Trombone

JOSE-MILTON

 Trombone solista da OSPA e professor de trombone da Escola de Música da OSPA. Reconhecido concertista e docente com intensa atividade no Brasil e no exterior. Ganhador de vários prêmios nacionais e internacionais, conquistou o Primeiro prêmio e o Prêmio do público no 26° Concorso Internazionale “Città di Porcia” (Italia-2015); Primeiro prêmio da “Lewis Van Haney Philharmonic Prize Competition” em Paris (ITF 2012), dentre outros. Em 2019 lançou o seu primeiro disco, intitulado “Plural”, com obras que apresentam elementos do erudito e do popular. Em 2020 o CD foi agraciado com dois prêmios Açorianos de Música (Melhor Disco Erudito e Melhor Instrumentista). É Mestre em Música pelo programa de Pós-Graduação Profissional em Música da UFRJ. É artista da marca de trombones Thein- Brass.

Professor de Tuba e Eufônio

FERNANDO DEDDOS (BRA)

Professores de Tuba e Eufônio

FERNANDO DEDDOS

 é professor de eufônio e tuba da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, e coordenador da Roda de Choro da UFRN. Lançou em 2010 EuFonium Brasileiro, o primeiro disco de eufônio no país, premiado pela Associação Internacional de Tubas & Eufônios como melhor disco do biênio na categoria. Com foco na difusão da música brasileira, atua como solista, compositor e professor em festivais e residências ao redor do globo. Seu trabalho composicional inclui prêmios internacionais como os da International Tuba Euphonium Association e International Trumpet Guild, além de atuar como júri em concursos de composição, como a ITEA, Trombonanza, Gramado in Concert, Leonard Falcone Festival (USA) e com a Associação Espanhola de Bombardinos e Tubas. O premiado Concerto para Eufônio foi interpretado pela U.S. Army Symphony em 2020. Lançou em 2021 o disco Chamber Works for Brass and Guests, e apareceu recentemente no disco da OSPA com o Concerto Grosso para Quinteto de Metais e Orquestra. Na rotina, atua como eufonista e pianista em diversificados projetos incluindo o Duo Bombardas e o Duo Grego, com foco no Choro de Câmara. Como regente é convidado de grupos sinfônicos acadêmicos em conferências e festivais e dirigiu a banda sinfônica da UFRN por 2 anos, além de ministrar disciplinas teóricas. Deddos é graduado em Composição e Regência pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná – UNESPAR, mestre em performance pela Duquesne University of Pittsburgh, e doutor em música pela University of Georgia (EUA), onde atuou como pesquisador do departamento interdisciplinar ICE – Ideas for Creative Exploration. É presidente da ETB – Associação de Eufônios e Tubas do Brasil e artista endorser da Adams Instruments – Holanda.

Professor de Saxofone

DOUGLAS BRAGA (BRA) 

Professores de Saxofone

 Saxofonista e compositor, I Prêmio no Concours de Saxophone Parisien 2012 (França), III Prêmio no Concours International Adolphe Sax 2012 (França), I Prêmio no Concurso Panamericano de Saxofón 2015 (México), Proac de Música Instrumental 2017. É artista Henri Selmer Paris e D’Addario Woodwinds. Professor de saxofone na Escola do Auditório Ibirapuera, ministrou masterclasses nas principais universidades e festivais do país.

Já se apresentou como solista com a OSESP – Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, Orquestra Jazz Sinfônica Brasil, Orchestre Symphonique du Conservatoire de Rouen, Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional, Orquestra Sinfônica da USP, Banda Sinfônica do Estado de São Paulo, Orquestra Sinfônica de Gramado, entre outras. É convidado constantemente para concertos e gravações com a OSESP, Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo, OSUSP e Orquestra Filarmônica de Minas Gerais. Suas composições são tocadas por músicos e grupos em todo o Brasil e também em países como: EUA, França, Espanha, Portugal, México, Colômbia, Argentina, Uruguai e Peru.

Professor de Percussão

RICARDO BOLOGNA (BRA)

Professores de Percussão

 é Timpanista solista da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP) e Professor do Departamento de Música da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo. Foi Regente Titular da Orquestra Sinfônica Jovem Municipal de 2008 a 2011 e Regente Principal da Orquestra Sinfônica da Universidade de São Paulo (OSUSP) de 2012 a 2014. Dirigiu as principais orquestras brasileiras como a OSESP, OSB, Filarmônica de Minas, Sinfônica do Paraná, da Bahia entre outras. Gravou três CDs com a OSUSP em 2012 e 13. EM 2016 regeu a primeira audição brasileira (depois de 61 anos) da obra “Le Marteau sans Maître” de Pierre Boulez na Sala São Paulo dentro da programação do Festival de Inverno de Campos do Jordão de 2016. Em 2022 foi Diretor Pedagógico do I Festival de Verão de Campos do Jordão em seu módulo de música contemporânea. Em 2002 fundou o Percorso Ensemble, grupo especializado na execução do repertório dos séculos XX e XXI, que realiza vários concertos pelo Brasil e exterior. Recentemente o Percorso realizou uma nova parceria com a São Paulo Companhia de Dança no Festival “Movimentos” na Alemanha. Em 2017 o Percorso ganha o “Grande Prêmio” da Revista Concerto na categoria votação popular e em 2022 é grupo em residência no I Festival de Verão de Campos do Jordão. Em 1989 funda o Duo Contexto de percussão com o percussionista Eduardo Leandro, premiado no VI Prêmio Eldorado de Música (1991) e no Festival de Música de Câmara de Dusseldorf-Alemanha (1996). Em 1993 o Duo se torna grupo em residência no Centro Internacional de Percussão em Genebra, Suíça, realizando concertos e turnês pela Europa, EUA e Japão. Participação nos Festivais de Campos do Jordão (Brasil), Suita (Japão) e em vários concertos pelo Brasil. Foi percussionista convidado da “Orchestre de la Suisse Romande” e do “Ensemble Contrechamps”, ambos na Suíça, com participação em vários festivais e turnês. Tem como mentor na regência o Professor e Maestro Kenneth Kiesler.  Bacharelado na Unesp, Mestrado na “Haute École de Musique de Genève”, “Artist Diploma” no “Rotterdam Conservatorium” e Doutorado pela Unicamp.

Professores de Piano

LACHEZAR STANKOV (BULGÁRIA/INGLATERRA) 

Professores de Piano

nasceu em Varna (Bulgária) e começou a aprender piano aos nove anos. Ele mostrou um progresso muito rápido e um ano depois foi aceito no DobriHristov College of Music and Arts, onde concluiu o ensino médio com um currículo especializado em música. A Lachezar é vencedora de diversos prêmios e distinções nacionais e internacionais. Ganhou o Segundo Prémio no Concurso Nacional DimitarNenov na Bulgária (1999), o Terceiro Prémio no Concurso Internacional Pro Arte em Bucareste, Roménia (2000), o Grande Prémio do Concurso de Música Checa e Eslovaca em Praga (2003) e também Prêmio Presto National Scholarship (2002). Em 2009, Lachezar foi finalista do concurso Concerto no Royal College of Music. Ele fez sua estreia em shows na Holanda aos doze anos, onde tocou em Utrecht e no RAI Centre em Amsterdã. Desde então, ele tocou em muitos locais na Bulgária, Europa e Reino Unido, incluindo o Varna Festival Hall e o Bulgarian Embassy Hall em Praga e Londres. Ele também participou do Varna Summer International Music Festival. Aos dezasseis anos foi seleccionado para participar numa série de concertos com a Orquestra Filarmónica de Varna, onde interpretou o Concerto para piano n.º 1 de Grieg, sob aclamação da crítica. Posteriormente, no ano seguinte, recebeu o convite para interpretar a Rapsódia em Azul de Gershwin com as Orquestras Filarmônicas de Varna e Shumen.

OLINDA ALLESSANDRINI (BRA)

Professores de Piano

Uma das mais versáteis e conceituadas pianistas brasileiras. Seu repertório é eclético e abrange uma vasta escolha de obras para piano solo, além de música de câmara e concertos com orquestras. Participa de Festivais Nacionais e Internacionais de Piano, colaboração em jornais e revistas digitais, e participação com capítulos em livros editados. Realizou tournées pelo Brasil, Uruguai, Argentina, Bolívia, Alemanha, Bélgica, Itália, Noruega, e nos Estados Unidos. Sua dedicação à produção musical do
Brasil e das Américas proporcionou vários prêmios, entre os quais diversos Prêmios “Açorianos”, e a distinção “Líderes e Vencedores”. Com apenas 18 anos conquistou o prêmio “Medalha de Ouro” do Instituto de Artes da UFRGS. A pianista tem realizado palestras e cursos sobre música, em especial no Instituto Ling, em Porto Alegre. Participa de 16 CDs como pianista convidada. Entre seus 11 CDs solo destacam-se os dedicados a obras de Villa-Lobos, Radamés Gnattali, Araújo Vianna e Chiquinha Gonzaga, além dos CDs Panorama Brasileiro, Valsas, Ébano e Marfim, Um Piano na Esquina, de diversos compositores. Também lançou um DVD, “pamPiano”.

FANYA LIN (EUA/TAIWAN) 

Professores de Piano

 

Descrita como uma “intérprete marcante” que apresenta uma “atuação comprometida e sincera” da Musical America e do The New York Times, a pianista Fanya Lin encantou o público em todo o mundo com suas performances carismáticas e ardentes. O “hipnotizante” de Lin performance” da Rapsódia sobre um Tema de Paganini de Rachmaninoff no Reino Unido foi retratada como “um tornado atingiu seu corpo e a ergueu, com as penas esvoaçantes, de banco do piano enquanto ela pesava nas teclas.” Suas apresentações orquestrais incluem o Orquestra Filarmônica Real, Sinfônica de Utah, Filarmônica de Savannah, The Jackson Sinfonia, entre outros. Solista ávida, Fanya promove a música clássica ao público criando músicas inovadoras programas de concertos e envolve seu público apresentando performances interativas. Dela recitais solos foram apresentados em inúmeras séries de concertos de prestígio, incluindo o Schubert Club Musicians on the Rise, Stecher e Horowitz Young Artist Series, e A Sociedade Steinway do Oeste da Pensilvânia. Seus álbuns foram lançados pela IsoMike, Summit Records, Soundset Recordings e Navona Records. Como filantropa, Fanya colaborou com diversas organizações sem fins lucrativos para criar acesso à educação e promover a conscientização sobre saúde mental por meio da arrecadação de fundos galas e concertos de salão. Inspirado por seus mentores, Dr. Yu-Jane Yang, Professor Hung- Kuan Chen e Professora Lydia Artymiw por sua dedicação na educação, Dra. Fanya Lin está atualmente atuando como Professor Associado de Prática de Piano na Universidade do Arizona, onde dá aulas de piano aplicado, música de câmara, literatura para piano e o curso Yoga para Músicos.

Professora de Harpa

CRISTINA BRAGA (BRA) 

Professores de Harpa

Cristina Braga é considerada responsável por apresentar ao mundo uma harpa brasileira, e por popularizar o instrumento em seu país. Foi citada por 2 vezes pela fabricante CAMAC em suas publicações, como uma “Lenda da Harpa”.

 

Trilhou paralelamente à sua carreira clássica um caminho consistente na música popular e no jazz.

Foi a 1ª harpista brasileira a lançar álbuns nos EUA, Europa, Coréia e Japão, e a gravar cds de samba e bossa nova.

Tem 18 albuns gravados, alguns lançados também na Europa, Japão, Taiwan e EUA. Seu mais recente álbum foi gravado com a Sinfônica de Brandemburgo na Alemanha, pela Enja Records de Munique: The Bossa Nova Brandenburg Concerto.

Apresentou- se em grandes salas do mundo, com shows com a Sinfônica de Moscow no Tchaikowsky Hall, no Viktoria Hall de Genebra, na Ópera de Halle, entre outros. Apresentou-se como solista com inúmeras orquestras brasileiras.

 

Cristina trabalhou com grandes nomes como Chico Buarque, Caetano Veloso, Marisa Monte, Olívia e Francis Hime, Ana Carolina, Zizi Possi em gravações ou em shows; colocou a harpa no rock nacional acompanhando os Titãs; e participou de apresentações ao lado de Lenine. Foi convidada por Roberto Menescal e Andy Summers (guitarrista do The Police) para realizar uma participação especial no DVD United Kingdom of Ipanema.

Foi aluna de Acácia Brazil no Rio de Janeiro, formada pela UFRJ, onde alcançou o prêmio de distinção máxima “Medalha de Ouro”, e de Susann MacDonald nos EUA.

 

Ocupou o cargo de Primeira Harpista da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro entre 1992 e 2016, aonde tocou sob a batuta de nomes como Mistislav Rostropovich, Sergiu Celibidache, Gabor Oetvos, Karl Martin, José Maria Florêncio, Mário Tavares, Sílvio Barbato, Sílvio Viegas, dentre outros. Fez solos ao lado de Felix Renggli e Pierre Amoyal. É professora de harpa da Universidade Federal do Rio de Janeiro, e lá desenvolve trabalho de formação com jovens talentos brasileiros.

 

Idealizou ao lado de Ricardo Medeiros, e faz a direção artística do centro cultural ecológico Uaná Etê, dedicado à música e à natureza, uanaete.com.  Criou e dirigiu importantes festivais para a região Vale do Café, como o Festival Vale do Café, o FLOR Atlântica/Festa dos Chapéus e a FLAMA (este último ao lado de Paulo César e Ricardo Medeiros)

 

Foi, por mais de 11 anos, uma das diretoras do Congresso Mundial de Harpas, e atuou como Curadora na formação do Centro Cultural Arthur da Távola no Rio de Janeiro. É Embaixadora do Rio de Janeiro, e atual Presidente do Vale do Café Convention & Visitors Bureau.

 

LIUBA KEVTSOVA (RUSSIA/BRA) 

Professores de Harpa

começou a estudar harpa aos sete anos em uma escola de Moscou, com a professora Elena Pavlova. Conquistou o 1º Prêmio no II Concurso Moscovita de Jovens Harpistas, Liuba, então com 15 anos, entrou para o Colégio de Música do Conservatório Tchaikovsky de Moscou, na classe de Margarita Maslennikova, iniciou o trabalho de docente na Escola Municipal de Música de Moscou e intensificou seu trabalho como solista nas principais salas de concerto da Rússia.  Graduada na classe de Vera Dulova no Conservatório Tchaikovsky de Moscou. Em 1997, foi diplomada no Concurso Internacional de Música de Moscou e, no ano seguinte, tornou-se professora oficial do Colégio de Música da cidade Elektrostal. Após sua formação acadêmica no ano de 2000 Liuba integrou a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo como harpista convidada e a partir de 2001 como Harpista Principal, posição que ocupa atualmente. Leciona em importantes festivais de música do país. Atua como solista nas principais orquestras do Brasil e professora da Academia da OSESP.

Professor de Violão

DANIEL WOLFF (BRA) 

Professores de Violão

DANIEL WOLFF

 Primeiro Doutor em Violão do Brasil, Daniel Wolff é um dos mais destacados violonistas do país. Profissional versátil, atua intensamente como concertista, didata, compositor e arranjador, pelo qual recebeu o prêmio Grammy.

Professor Titular da UFRGS, onde criou os cursos de Mestrado e Doutorado em Violão, Wolff foi também professor visitante da Universidade de Arte de Berlim, Alemanha. Constantemente, é requisitado para ministrar cursos em universidades e festivais de música no Brasil, Estados Unidos, Canadá, México, Portugal, Alemanha, Bolívia, Peru, Colômbia, Uruguai e Argentina. Formado na Escuela Universitária de Música de Montevidéu, recebeu bolsas de estudo da CAPES e CNPq para cursar Mestrado e Doutorado na prestigiosa Manhattan School of Music de Nova Iorque. Vencedor de importantes concursos nacionais e internacionais de violão, sua carreira inclui apresentações na América do Sul, Estados Unidos e Europa, destacando-se um recital no Carnegie Hall de Nova Iorque. Por seus discos, concertos e composições recebeu os mais altos elogios da crítica internacional.

Professores de Canto Lírico

SANDRA LOPEZ NEILL (EUA) 

Professores de Canto Lírico

30

Elogiada pela sua “bela voz de soprano” (New York Times) e aclamada como “uma profissional experiente de Puccini, com um instrumento lírico de tons escuros capaz de considerável poder emocional” pelo OPERA NEWS, a soprano internacionalmente aclamada Sandra Lopez já se apresentou no mundo grandes palcos, incluindo actuações recentes com a Ópera Nacional Finlandesa como Elisabetta em DON CARLO, Opera de Oviedo e Opera på Skäret na Suécia cantando o papel principal em TOSCA, Gran Teatro la Fenice de Veneza, Opera Carolina, Florida Grand Opera e Fort Worth Opera como Mimi em LA BOHEME, Opera de Massy, Virginia Opera, Berkshire Opera, Opera de Fribourg na Suíça, Festival de St-Cèrè e Opera Eclatè, cantando o papel-título em MADAMA BUTTERFLY, Opera Carolina como Desdemona em OTELLO, Cincinnati Opera, Forth Worth Opera, San Antonio Opera, Connecticut Grand Opera, Opera Maine, Florida Grand Opera, Palm Beach Opera e Opera North como Micäela em CARMEN, San Antonio Opera cantando o papel principal em SUOR ANGELICA, o Festival de Salzburgo, o Festival de Verbier na Suíça, o Tanglewood Festival e The Metropolitan Opera como a 4ª Maid em ELEKTRA, Opera Maine, Nashville Opera e San Antonio Opera como Nedda em I PAGLIACCI, e com Fort Worth Symphony em uma performance semi-encenada como Tatiana em EUGENE ONEGIN que ela também cantou no The Metropolitan Opera para seu CONCERTO DE GALA DE JOVENS ARTISTAS dirigido por James Levine no qual ela apareceu cantando toda a cena final como Tatiana. Formada pelo Metropolitan Opera Lindemann Young Artist Program, ela apareceu no Metropolitan Opera em vários papéis que incluem Catherine em VIEW FROM THE BRIDGE de Bolcom, Frasquita em CARMEN, 4th Maid em ELEKTRA, Tebaldo em DON CARLO, Flower Maiden em PARSIFAL, covers incluindo Liu/TURANDOT, Marguerite/FAUST, Nedda/I PAGLIACCI e Roberta Alden para a estreia mundial de AMERICAN TRAGEDY, entre outros. Tão confortável em concertos como no palco de ópera, a Sra. Lopez apareceu recentemente com a Ópera Lituana e a Sinfónica de Nuremberg em galas de ópera a solo com as orquestras, bem como em numerosos recitais a solo nos EUA e em França. Lopez fez turnê com Andrea Bocelli com aclamação da crítica e executou uma ampla variedade de repertório. Lopez recebeu vários prêmios, distinções e subsídios, incluindo Vencedora do Concurso do Conselho Nacional da Metropolitan Opera, Vencedora do Grande Prêmio da Florida Grand Opera Young Patroness Association, Primeiro Prêmio no Concurso de Ópera de Palm Beach, Bolsa de Carreira Vencedora da Fundação George London e da Fundação Beau Bogan, e Finalista Mundial no Concurso Luciano Pavarotti.

LICIO BRUNO (BRA) 

Professores de Canto Lírico

32

 é um dos mais completos artistas brasileiros, obtendo o Prêmio Carlos Gomes em 2004, maior láurea do Canto Lírico nacional. Bacharel em Canto, é Mestre em Performance pela UNIRIO e cursa atualmente Doutorado em Música pela UFMG. Aperfeiçoou-se em Ópera e Repertório Sinfônico pela Franz Liszt Academy of Music e pela Ópera de Budapeste, Hungria, tornando-se membro da casa e artista convidado por 8 anos consecutivos. Vencedor de 10 primeiros prêmios em concursos de canto nacionais e internacionais, possui mais de 80 papéis protagonistas realizados, em óperas de diferentes autores e estilos. É até hoje, o único cantor brasileiro a ter interpretado o Wotan/Wanderer no ciclo integral wagneriano O Anel do Nibelungo (2005). Professor Adjunto da Faculdade de Música do Espírito Santo – FAMES, ensinou também na Escola de Música da UFRJ e no Conservatório Brasileiro de Música, sendo professor do Instituto Baccarelli, SP. Coordena os cursos de Pós-graduação do Coletivo das Artes, espaço de artes dirigido por ele e pela cantora lírica Adalgisa Rosa, sua esposa. Juntos, desenvolvem programas de formação de jovens cantores como o OperaStudio Coletivo das Artes, os Cursos de Verão e as Residências Artísticas Conexões Musicais. Em 2015 recebeu a “Ordem do Mérito Cultural Carlos Gomes”, da SBACE-SP e a Medalha Cinquentenário da Forças Brasileiras Internacionais de Paz da ONU, da ABFIP-ONU. Lançou em 2015 o CD “Ê vida, ê voz! – Canções de Edmundo Villani-Côrtes”. Em 2018, realizou turnê internacional por Israel – Festival Felicja Blumenthal -, Hungria, Alemanha e Dinamarca, gravando no Jerusalém Music Studio junto com a pianista Sonia Rubinsky o ciclo das “Serestas”, de Heitor Villa-Lobos. Cantou Jago em Otello (2005) no Teatro Colón de Bogotá, Colombia e em 2015 no Teatro Argentino de La Plata, Argentina, cantando no mesmo ano no Teatro de Sodre, Montevidéu. Debutou o papel título de O Navio Fantasma no Teatro Argentino de La Plata (2013) e interpretou pela 1ª vez o Mefistófeles, de Arrigo Boito no Teatro El Circulo de Rosário, Argentina (2019). Atua no Brasil, Europa, América Latina e Indonésia. Licio tem também dirigido óperas junto ao Coletivo das Artes e em outros festivais, como “O Reino de Duas Cabeças”, de Jaceguay Lins e “O Caixeiro da Taverna” e “Serafim e o lugar onde não se morre”, de Guilherme Bernstein, e a ópera La Bohème, de Puccini, em Brasilia. Realizou com o Coletivo das Artes a 1ª audição mundial da “Missa Sertaneja”, de autoria de Luciano Araujo (arranjos de Mateus Araujo). Licio participa em diversos festivais e temporadas de óperas e concertos. Professor convidado do 43º CIVEBRA, Curso Internacional de Verão da Escola de Música de Brasília, abriu a temporada 2022 da Orquestra Sinfônica do Espírito Santo com a ópera O Caixeiro da Taverna, de G. Bernstein, produção do Coletivo das Artes por ele dirigida cenicamente, e no mesmo ano apresentada no Festival Amazonas de Ópera e no Festival de Ópera de Ouro Preto, MG. Integrou o elenco da estréia mundial da ópera O Aleijadinho, de Ernani Aguiar junto ao Palácio das Artes. Cantou o oratório Elias de Mendelsohnn, a convite da OFMG – Orquestra Filarmônica de Minas Gerais. Apresentou-se no Teatro del Sodre, Montevidéu, Uruguai, interpretando o personagem título de O Castelo de Barba Azul, de Béla Bártok (2022), recebendo elogiosas críticas por seu trabalho. Licio Bruno retornou aos palcos do Theatro Municipal de São Paulo em 2023 nas óperas Il Guarany, de C. Gomes e La Fanciulla del West, de G. Puccini e também do Theatro Municipal do Rio de Janeiro nas óperas I Pagliacci, de R. Leoncavallo e La Traviata, de G. Verdi, quando celebrou seus 35 anos de carreira. Acaba de interpretar a Carmina Burana, de Carl Orff, abrindo a temporada 2024 da OSESP, sendo efusivamente aclamado pelo público.

FLÁVIO LEITE (BRA)

Professores de Canto Lírico

31

 é pós-graduado pelo Conservatório Superior del Liceu, em Barcelona, Mestre em Música pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, co-fundador da Companhia de Ópera do Rio Grande do Sul, sediada no Theatro São Pedro de POA, diretor pedagógico do Ópera Estúdio da CORS – OSPA, professor no Festival Internacional SESC de Música, preparador vocal do Coral da UFRGS e do Madrigal Nestor Wennholz e curador da Série Terça-Lírica do Palácio da Justiça. Com 20 anos de carreira como cantor profissional no mundo da ópera, Flávio acumula um repertório que abrange 58 personagens de ópera em 8 idiomas diferentes apresentados nos principais palcos brasileiros e latino-americanos com as principais orquestras. Já foi Tamino em A Flauta Mágica, Ferrando em Cosi Fan Tutte, Don Ottavio em Don Giovanni, Conde Almaviva em O Barbeiro de Sevilha, Don Ramiro em Cenerentola, Tonio em La Fille du Regiment, Beppe em Rita, Camille em A Viúva Alegre, Pong em Turandot, Mozart em Mozart e Salieri, Chevalier de la Force em Diálogo das Carmelitas, Der Mahler em Lulu, Professor em A Raposinha Astuta, Anatol em Vanessa, entre outros. Nos últimos anos fez as estreias mundiais das óperas Dulcinéia e Trancoso e a Ópera do Mambembe Encantado de Eli-Eri Moura, O Menino e a Liberdade de Ronaldo Miranda, O Diletante de João Guilherme Ripper, O Perigo da Arte e O Engenheiro de Tim Rescala, A Estranha, O Quatrilho e A Paixão de Dante de Vagner Cunha, Os Circunvagantes de Maurício de Bonis e Viramundo Viraflor de Antonio Ribeiro e participou da premiada versão moderna da última ópera de Villa-Lobos, A Menina das Nuvens.  Como diretor cênico, dirigiu a estreia brasileira da ópera O Acordo Perfeito de Adolphe Adam com a OSPA e O Maestro de Música de Pergolesi com a Orquestra Theatro São Pedro. Na temporada de 2022 dirigiu O Barbeiro de Sevilha para a Série Terça Lírica, Cavalleria Rusticana para a CORS e a opereta O Morcego para a OSPA no Theatro São Pedro.  Na temporada 2023 protagoniza Der Ozeanflug de Brecht/Weill no Theatro São Pedro de São Paulo, dirige I Pagliacci e Os Bacharéis para a CORS-OSPA.

Professor de Regência Orquestral

LINUS LERNER (BRA/EUA) – veja curriculum acima “direção artística”

Professora de Regência Coral

ISABELA SEKEFF (BRA) – veja curriculum acima “maestrina da banda sinfônica”

Professora da oficina de Criatividade e Improvisação Musical

w1

HELOÍSA FERANDES (BRA) – pianista e compositora vem sendo descrita pela crítica como “lírica e luminosa, além de categorizações’’ (Tim Page, The Post and Courier, Charleston, USA).  Com um repertório centrado em sublimes interpretações e criações instrumentais, uma das cinco finalistas premiadas no Prêmio Visa de Música Brasileira, tornou-se conhecida no Brasil e exterior consolidando sua carreira profissional através da pesquisa da cultura popular brasileira que abastece suas composições como fonte catalisadora e inspiradora.

Gravou seu primeiro trabalho autoral, Fruto, ao lado de grandes mestres, entre eles, Zeca Assumpção e Naná Vasconcelos. Para o álbum seguinte, Candeias, pesquisou profundamente as melodias e ritmos documentados por Mário de Andrade e pesquisadores em 1936. Registou em Faces, as improvisações para piano solo que nasceram de suas leituras sobre o universo feminino e a relação com a Mitologia Grega. Em Inzu, suas composições traduziram reverência ao continente africano após conhecer a literatura de Scholastique Mukasonga, escritora tutsi. Realiza concertos no Brasil e exterior. Entre eles, destacam-se solos no Spoleto Jazz Festival e turnê nos EUA.

Correpetidores

KARIN UZUN (BRA) 

Correpetidores

 Natural de Ribeirão Preto, fixou moradia em São Paulo desde 2001, quando ingressou como pianista no Theatro Municipal de São Paulo. Ingressou na correpetição operística e sinfônica (acompanha cantores e instrumentistas), além de tocar para corais e grupos de câmara e também musicais. Trabalha sob a batuta dos maestros mais conceituados do país em correpetições operísticas e em concertos das várias orquestras de São Paulo. Além de pianista, leciona canto com a técnica vocal de Leilah Farah, grande professora da lírica brasileira. Trabalhou não somente com cantores nacionais como também com os cantores internacionais acolhidos pelo Theatro Municipal em suas temporadas, além do Theatro Municipal do Rio de Janeiro e Teatro Amazonas de Manaus, acompanhando e preparando-os para as óperas. Ensina o canto lírico para óperas, o belting para os Musicais e as músicas Pops, e o canto popular (MPB), trabalhando a respiração necessária para cantar e a emissão da voz de acordo com cada estilo musical. Também leciona piano, teoria musical e solfejo. Toca, rege e canta em casamentos e missas, eventos e saraus; confecciona e projeta legendas para espetáculos em geral. Trabalha com os principais maestros brasileiros tocando em masterclasses de regência, correpetindo todo o repertório sinfônico. Atualmente, é conhecida no meio musical como uma “orquestra portátil”, por seu toque cheio e denso, substituindo com presteza uma “orquestra de verdade” em recitais e audições; além da expressividade em cada nota tocada e o ajuste perfeito com o canto, proporciona ao cantor e (ou) instrumentista liberdade para expressar-se, na certeza de ser bem acompanhado.

PAULO BERGMANN (BRA)

Correpetidores

PAULO BERGMANN

 é professor de piano no curso de Graduação em Música:  Licenciatura da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS).

Formou-se em 1993 no curso de Bacharelado (Piano) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) classe da Prof. Maly Weisenblum, Participou de masterclasses ministradas por Jeffrey Jacob, Charles Rosen, David Witten, Fernando Laires, Victor Rosenbaum, Homero de Magalhães e Yara Bernette, entre outros. Em 2013 foi solista do Concerto para Piano e Orquestra no 2 de Beethoven junto à Orquestra de Câmara da Fundarte. Como bolsista da VITAE, participou do XLVI Seminário de Música de Câmara de Bariloche, coordenado por Nicolás Chumachenco, como membro do Musitrio, único grupo brasileiro selecionado para o evento. Com este mesmo grupo, participou de recitais na Argentina, Santa Catarina, Minas Gerais e Rio Grande do Sul. Tem desenvolvido intensa atividade como camerista com grandes instrumentistas de diversos países. Também tem atuado como pianista correpetidor de vários festivais e seminários de música por todo o Brasil como o Festival Internacional Sesc de Pelotas e o Gramado In Concert. Tem colaborado em concertos com a Orquestra Sinfônica de Porto Alegre (OSPA), Orquestra de Câmara do Theatro São Pedro, Orquestra de Câmara da ULBRA, Orquestra de Câmara SESI/FUNDARTE (Montenegro), Orquestra da UNISINOS e Orquestra de Câmara da Universidade de Caxias do Sul (UCS).  Foi professor substituto de Teclado Complementar e Harmonia na UFRGS e foi professor na Unisinos onde atuou no projeto Sinos Acorda e junto com a orquestra da instituição. Entre 2008 e 2012 atuou como pianista do coro sinfônico e da Orquestra Filarmônica da PUC-RS. Entre 2015 e 2018 foi pianista do coro sinfônico da OSPA.

ANDRÉ LOSS (BRA) 

Correpetidores

33


é um pianista concertista e camarista. Sua formação musical foi feita no Brasil e nos Estados Unidos, sob a orientação de importantes professores e intérpretes. Ele obteve seu doutorado em Artes Musicais no Conservatório Superior de Música da Universidade de Cincinnati, Oh. André Loss recebeu vários prêmios e distinções em concursos de piano e em audições de concerto. Ele apareceu como solista nas temporadas de várias orquestras, entre elas a Orquestra Sinfônica de Porto Alegre, a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, a Orquestra Sinfônica da Universidade Eastern Illinois, a Orquestra Sinfônica de Caxias do Sul, a Orquestra Sinfônica de Carazinho, a Orquestra de Câmara da UNISINOS, a Orquestra de Câmara do Teatro São Pedro, a Orquestra de Câmara da ULBRA, Orquestra Filarmônica da UFRGS e a Orquestra Sinfônica de Santa Maria. Tocou em importantes salas de música do Brasil, atuando também nos Estados Unidos como Professor Visitante e na Gest Artist Concert Series. Recentemente, executou o ciclo completo dos Etudes Transcendentales de F. Liszt. Realizou diversos recitais de câmara com artistas renomados e atuou como solista com importantes maestros, como Eleazar de Carvalho. André Loss participou recentemente de uma turnê brasileira com o violinista Fredi Gerling, tocando o conjunto completo das Sonatas de Beethoven para piano e violino. Além disso, ele também formou duos com a violoncelista Marjana Rutkowski e o contrabaixo Alexandre Ritter. Seu CD com a soprano Adriana Zignani recebeu o Prêmio Açorianos da Cidade de Porto Alegre como o melhor CD de Música Clássica. Gravou recentemente, junto com outros artistas, um CD com obras de Camargo Guarnieri. André Loss fez a estréia mundial de obras do compositor Felipe Adami, incluindo a estréia do Concerto para Piano e Orquestra, que foi dedicado ao pianista. André Loss é professor titular de Piano e de Literatura do Teclado e pesquisador do Departamento de Música da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Ele é o criador e supervisor do projeto “Fontes Digitais de Música de Teclado de 1730 a 1830”. O principal objetivo do projeto é promover a difusão em formato digital dos trabalhos de teclado do século XVIII e do período Pré-Romântico. Preliminarmente, o projeto permitiu-lhe fazer a estréia sul- americana do Concertino para Piano e Orquestra de Johann Nepomuk Hummel, e em 2024 ele irá também estrear o Concerto Op. 34 do mesmo compositor com a Orquestra Filarmônica da UFRGS.

Produção

TATIANE FERNANDES (BRA)

Diretora de Produção 

16


Engenheira de Produção Cultural e sócia fundadora da MAPA Realizações Culturais. Diretora de produção dos projetos: Movimento Sinfônico, Trapiá Semente, Festival Fiart Cultural e Movidos à Dança. Responsável pela produção da Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte. Integrou a produção dos seguintes Festivais: Festival Zapopan (México 2023), Festival Texcoco México (2022), Gramado in Concert (2021), Festival Ópera Sin Limites Mexico (2021), Festival de Ópera de San Luís Potosí México (2016 a 2020). Dirigiu e produziu a Opereta Amahl no Natal Luz de Gramado/RS de 2021 e na cidade de Natal/RN em 2019. Atua na produção de Operas desde 2016. Produziu as Operas: La Traviata, Flauta Mágica, Carmen, Die Zauberflöte, The Medium, Hansel y Gretel, Die Fledermaus, Suor Angelica, Cosi Fan Tutte, El Mesias, entre outras. Responsável pela estrutura e programação do Espaço Cultural Mapa Midway Mall em 2016.

AUREA JULIANA FEIJÓ

Coordenadora de Logística e Produção

17

 Graduada em Educação Física pela Universidade FEEVALE. Atuou no ensino de dança junto à Rede Municipal de Ensino de Novo Hamburgo, é membro da Associação Pró-Dança de NH e participou como conselheira no Conselho Municipal de Política Cultural de Novo Hamburgo. Atua no Instituto Arlindo Ruggeri, desde 2012 como diretora cênica da Orquestra de Sopros de Novo Hamburgo e desde 2018 como secretária do Núcleo de Orquestras Jovens de NH.

RENATO LUIS PEREIRA DOS SANTOS

Coordenador de Logística e Produção

 

É licenciado em Música pela UERGS/RS, Pós-graduado em Educação Social – Faculdades EST/SL, e Mestre pela Faculdades EST/SL. Atua como instrumentista nos grupos Barlavento quarteto de Saxofones e no Quarteto Sugiro Brasil. Professor na Faculdades EST/SL no Instituto Ivoti, onde desenvolve atividade docente nas áreas de História da Música, Percepção Musical, Prática de Conjunto e Técnica/Interpretação Instrumental. Diretor Executivo da OSNH (Orquestra de Sopros de Novo Hamburgo) e Coordenador Pedagógico do NOJ (Núcleo de Orquestras Jovens) de Novo Hamburgo.

DANIEL GARCIA VARELA

Coordenador de Corpo Discente e Produção

Estudante do curso de engenharia civil, assistente administrativo no Techpark da Universidade FEEVALE e atuou como coordenador logístico e do corpo discente na primeira edição do FeMusiK